MPB

Baia mata as saudades do Circo Voador

Uma das coisas mais felizes dessa retomada é a possibilidade de voltar aos nossos lugares de afeto onde energias se recarregam. No meu caso, esses lugares têm a ver com palcos, com shows ao vivo e tenho aqui no Rio um lugar que frequento desde adolescente. Falo do Circo Voador, espaço de celebração de algumas das melhores práticas da vida que são música e congraçamento. E se o Circo Voador tem um portfólio de sócios-frequentadores, entre os quais público e artistas, com uma relação especial com o espaço um deles é Maurício Baia. Mesmo radicado nos Miami (EUA), o cantor e compositor baiano sempre agenda para o mês de novembro uma apresentação na lona da Lapa – ritual só interrompido no ano passado em função da pandemia. Com a flexibilização das normas sanitárias na cidade, ele se apresenta neste sábado (6), a partir das 22h.

O show é uma celebração dos 30 anos de carreira do artista, muitos deles vividos no Circo Voador desde 1992 quando se apresentou no Baú do Raul. “Teremos a abertura do show com Luís Carlinhos, que está lançando um álbum com algumas parcerias nossas desde o tempo do 4Cabeça. Vou tocar novidades e sucessos de uma longa história”, conta Baia, referindo-se ao single da canção “I Believe Sim” que será apresentada oficialmente no show que terá ainda as participações de outro parceiro, Gabriel Moura, e da cantora Amanda Coronha. “Cantaremos juntos a versão de ‘Tu’ que ela gravou lindamente em formato acústico. Será um prazer dividir esse momento com o público”, completa Baia.

Quando sobe ao palco, Baia impressiona. Suas inteligentes e versáteis canções ganham um colorido especial graças à presença de palco do artista que confessa sempre se sentir muito à vontade no Circo.

Para comemorar as três décadas de história musical, o cantor mergulha com gosto em todas as fases da carreira, trazendo na bagagem momentos do grupo Baia & Rockboys (1991-2003), faixas dos álbuns solos “Habeas Corpus” (2006) , “Com a Certeza de Quem Não Sabe Nada” (2013), “A Fúria do Mar” (2015), e aquela energia única, consagrada no DVD ao vivo “Baia no Circo” (2009), um registro audiovisual no qual é possível sentir toda a catarse que as canções do artista provocam na plateia.

A casa abrirá os portões às 22h com apresentação do DJ Lencinho. Será exigido do público apresentação do passaporte de vacinação.

Leia mais em:

Baia Bossa Dylan, um tributo ao Bardo (com baianidade)

Deixe uma resposta