Rock

Clube Big Beatles reúne grandes da MPB e do rock brasileiro em álbum

Clube Big Beatles

A prova de que os Beatles são a banda de rock de todos os tempos é a existência de milhares de conjuntos dedicados a difundir sua obra nos “quatro cantos” deste planeta redondo. Um deles conseguiu a proeza de, ao lançar seu quarto álbum (o primeiro em formato digital), reunir um time estelar de nomes do MPB e do rock brazuca para interpretar clássicos dos quatro rapazes de Liverpool. A banda é a Clube Big Beatles, de Vitória (ES).

O projeto “Clube Big Beatles & Seus Sócios” tem participações de nomes consagrados como Edgard Scandurra (Ira!), Bruno Gouveia (Biquini Cavadão), Andreas Kisser (Sepultura), Dado Villa-Lobos (Legião Urbana), Armandinho Macêdo (A Cor do Som), Ivan Lins, Evandro Mesquita (Blitz), João Barone (Paralamas do Sucesso), Flávio Venturini, Zé Renato, Leo Gandelman e Jerry Adriani (1947-2017), em sua última gravação.

“Embora o Andreas, o Dado e o Barone não sejam cantores, fizemos questão que eles cantassem com a banda”, conta Edu Henning, um dos integrantes do Clube Big Beatles e que assina a produção do álbum. Além de Edu (gaita, percussão e voz), abanda é formada por Mark Fernandez (teclados, guitarra e voz), Marcos Sucupira (guitarra e voz), Dudu Rossi (bateria e voz) e Márcio Yguer (baixo e  voz).

Todas as gravações e os convidados trazem consigo boas histórias para contar, mas Henning destaca duas delas. “Ter o o Ivan Lins no álbum é uma satisfação enorme pra gente. O arranjo de Eleanor Rigby que ele toca, com uma pegada Bossa Nova, foi criado pela banda para uma apresentação acústica em Liverpool. E quando o chamamos para gravar ele fez questão de escolher essa música”, lembra. “Já o Jerry Adriani fez conosco sua última gravação. Foi uns seis meses antes de sua morte. Não era nosso desejo ficar com esse carimbo. Temos ótimas recordações do Jerry, que se apresentou com a gente num DVD gravado em Liverpool. Nele há cenas do Jerry percorrendo pontos históricos e turísticos da cidade, atuando como um repórter por um dia. Estava muito feliz”, completa.

Todas as músicas, clássicos dos Beatles, foram registradas em estúdio, exceto as três faixas bônus que fecham o trabalho, gravadas ao vivo em apresentações na capital capixaba e que trazem Tony Sheridan – que produziu os primeiros singles do Beatles, gravados em Hamburgo (Alemanha) –; Pete Best, o primeiro baterista da banda britânica, que seria substituído nas baquetas por Ringo Starr; e a Banda da Polícia Militar do Espírito Santo. “Incluímos essas três faixas-bônus por motivos muito particulares. Sheridan e Pete têm uma história entrelaçada com os Beatles. O Pete já esteve duas vezes em Vitória para tocar com a Clube Big Beatles. E a Banda da PM faz um belo trabalho social, laém de difundir a música popular em várias cidades capixabas. Também levamos músicos da banda para Liverpool”, explica.

O projeto demorou quase dez anos para ficar pronto, o que para a banda não é um problema. “Não temos gravadora por trás, não temos prazos contratuais para cumprir. Assim tido foi feito com calma para termos o melhor resultado. Conseguimos uma qualidade técnica muito boa”, explica  Henning.  “De maneira orgânica e confortável, cada convidado do projeto trouxe a sua influência e personalidade para dentro do universo dos Beatles”, completa Henning. O músico reforça ainda que a Clube Big Beatles não se considera uma banda cover dos ingleses. “Fazemos questão de apresentar as músicas com arranjos e interpretações com personalidade própria, sem preocupação e nem interesse de reproduzir os clássicos dos Beatles da forma em que foram originalmente gravados.

Sir Paul e os integrantes da Big Clube Beatles durante passagem do astro por Vitória - Foto: Acervo Big Clube Beatles
Sir Paul e os integrantes da Big Clube Beatles durante passagem do astro por Vitória – Foto: Acervo Big Clube Beatles

A banda participa há 26 anos consecutivos da “International BeatleWeek”, o Festival dos Beatles em Liverpool, onde estão no Hall da Fama do evento desde 2008. Os capixabas são um dos grupos que representam o Brasil no mais importante evento mundial em torno dos Beatles. Nenhuma outra banda de fora da Inglaterra já participou tantas vezes do festival. Partiu da organização do evento um convite para que os capixabas gravassem no mítico estúdio Abbey Road.

Além disso, a banda gravou um CD e DVD ao vivo no lendário Cavern Club, em Liverpool na ocasião em que a casa noturna que se tornou famosa por ser o primeiro palco dos Beatles comemorava 50 anos. “Já fizemos cerca de 300 apresentações na Inglaterra, sendo que 65 delas foram no Cavern”, conta Edu Henning, que também enumera apresentações na Alemanha, Bélgica, França e nos Estados Unidos.  Quando Paul McCartney esteve no Espírito Santo, soube do trabalho realizado pelo Clube Big Beatles. Então, para surpresa dos brasileiros, fez questão de conhecer os membros da banda capixaba. Foram 25 minutos de conversa. Resultado: lembranças incríveis e uma foto histórica da banda Clube Big Beatles ao lado de Sir Paul.

Repertório e convidados

Em estúdio foram gravadas as canções “Lady Madonna” (Clube Big Beatles), “Get Back” (Andreas Kisser), “I Feel Fine” ( Jerry Adriani), “Eleanor Rigby” (Ivan Lins), “Whille My Guitar Gently Weeps” (Edgard Scandurra), “When I’m 64” (Bruno Gouveia), “Ticket To Ride” (Dado Villa-Lobos), “Something” (Armandinho Macêdo), “Drive My Car” (Evandro Mesquita), “Money” (João Barone), “The Long And Winding Road” (Flávio Venturini), “Nowhere Man” (Zé Renato) e “Come Together” (Leo Gandelman). Ao vivo são “Yesterday” (Tony Sheridan), “My Bonnie” (Pete Best) e “She Loves You” (Banda da PM do Espírito Santo). Ouça aqui o álbum:

Deixe uma resposta