MPB

Fernando Brant, um vendedor de sonhos, sim senhor!

Milton e Fernando Brant, uma das parcerias mais sublimes da MPB - Foto: Reprodução
Capa do CD'Vendedor de Sonhos' - Foto: Divulgação
Capa do CD’Vendedor de Sonhos’ – Foto: Divulgação

Há cinco anos a MPB perdia um de seus principais poetas. São do mineiro Fernando Brant uma penca de canções eternizadas por Milton Nascimento, Beto Guedes, Lô Borges e Elis Regina. Jornalista, escritor e compositor, Brant deixou legado não apenas musical-poético mas de luta pelo reconhecimento dos direitos autorais no período em que presidiu a União Brasileira de Compositores (UBC).

Produzido por Robertinho Brant, sobrinho do poeta, chega ao mercado pelas sempre cuidadosas mãos da Biscoito Fino o álbum “Vendedor de sonhos”, um projeto digno da obra do poeta do Clube da Esquina que tem 20 de suas mais representativas criações recriadas por parceiros e grandes artistas influenciados por suas canções, entre eles o próprio Milton (interpretando “O medo de amar é o medo de ser livre”) – um sucesso na voz de Beto Guedes. Beto, por sua vez, retribui o mimo com uma versão emocionada (sem exageros) de San Vicente, um dos clássicos do repertório de Bituca.

Mas não fica nisso. Djavan leva seu timbre inconfundível a “Milagre dos Peixes”; Dori Caymmi recria, com teus tons graves, “Sentinela”; Samuel Rosa, do Skank, refresca “Paisagem da Janela”; Lô Borges emociona com “Durango Kid” (uma de minhas preferidas do álbum. Como não gostar de Lô?); as quatro vozes do Boca Livre surpreendem com “Credo” que segue atual nos veros “Tenha fá em nosso povo / Que ele resiste”); Seu Jorge mata no peito, domina e sai jogando à moda carioca na mineiríssima “Saídas e Bandeiras nº 1”; o virtuoso guitarrista Toninho Horta nos brinda tocando e cantando “Travessia”; e a sempre musa Joyce Moreno nos eleva ao plano das nuvens com sua releitura em “Saudades dos Aviões da Panair” que teve em Elis Regina uma interpretação que integra as mais belas páginas da história da MPB.

Fernando Brant, jornalista, escritor e um dos letristas essenciais da MPB - Foto: Reprodução
Fernando Brant, jornalista, escritor e um dos letristas essenciais da MPB – Foto: Reprodução

Outra canção brantiana eternizada por Elis, “O Que Foi Feito Devera”, ganha novas ares com Mônica Salmaso; a carioca Nina Becker leva um clima intimista a “Outubro”; e a clássica “Ponta de Areia” ganha novos significados com um arranjo maior, que estende a curtíssima versão de Milton a quase cinco minutos e é emoldurada na doce voz de Roberta Sá; suavidade também é que Fernanda Takai traz em “Vevecos, Panelas e Quintais”;  o mineiro Tadeu Franco resgata toda mineiridade de “Beco do Mota”,  canção que conta fatos passados em Diamantina, terra dos Brant. O Beco do Mota era a viela que abrigava os antigos puteiros da cidade e que foram desocupados à força por ordem de um arcebispo reacionário inconformado com a localização do “local de vida fácil, bem em frente à igreja matriz da cidade.

Além de sua participação na faixa com o Boca Livre, Zé Renato interpreta “Vida”, uma bela mas pouco conhecida letra de Brant em parceria com Milton. A canção era a preferida de seu Moacyr, pai de Fernando. Parceria de Brant e Milton e gravada originalmente no álbum “Caçador de Mim”, do Bituca, a romântica “Amor Amigo” recebe a interpretação da Paula Santoro. E os tributos de “Vendedor de Sonhos” seguem com Vander Lee cantando “Canoa, Canoa” e Tavinho Moura em “Maria Três Filhos” até o fecho com a faixa-título no duo de Flávio Venturini e Marina Machado. “Vendedor de Sonhos” é uma das letras que melhor resumem o nobre ofício a que Fernando Brant empregou parte de sua vida. A música nos transporta a tantos lufares e sensações que mal dá para descrever.

“Costumava brincar que o Fernando deve ter nascido já com muitos anos de idade. Afinal, escrever as letras de “Travessia”, “Outubro” e “Sentinela” aos 21 anos era quase assustador”, comenta Robertinho, para quem produzir,
arranjar e gravar o álbum foi uma experiência única. “Pensar em cada arranjo, sonhar com cada nova gravação.
Conviver todos os dias com tantas mágicas palavras… É como se ele estivesse acabando de me ensinar tudo aquilo que eu ainda não tinha conseguido aprender”, emociona-se.

Ouça este álbum essencial aqui:

Deixe uma resposta