Pop

Novo disco de Elton cercado de expectativas

Elton John
Capa do álbum 'The Lockdown Sessions, de Elton John, com lançamento previsto para 22 de outubro
Capa do álbum ‘The Lockdown Sessions, de Elton John, com lançamento previsto para 22 de outubro

Elton John usou as redes sociais para anunciar seu próximo trabalho, “The Lockdown Sessions”, um álbum de colaborações gravado remotamente durante os últimos 18 meses, desde o auge da pandemia. O álbum já está cercado de expectativas por reunir participações de Brandi Carlile, Charlie Puth, Dua Lipa, Eddie Vedder, Gorillaz, Lil Nas X, Miley Cyrus, Nicki Minaj, Rina Sawayama, SG Lewis, Stevie Nicks, Stevie Wonder, Surfaces, Years & Years e Young Thug, entre outros. O disco chega ao mercado em 22 de outubro e sua capa já foi também revelada pelo artista.

Em março de 2020, Elton foi forçado a fazer uma pausa na turnê “Farewell Yellow Brick Road” devido ao desdobramento da pandemia de covid. Quando o mundo começou a se fechar, diferentes projetos se apresentaram com artistas que Elton gostou de conhecer através de seu show “Apple Music Rocket Hour”, feito para as plataformas digitais.

Considerado pelo artista britânico como um de seus discos mais ousados e interessantes, “The Lockdown Sessions” resgata um lado marcante na trajetória de Elton John: o de músico de estúdio. Embora não tenha sido fácil para um pop star gravar durante uma pandemia.

“The Lockdowns Sessions”, que já teve antecipado o lançamento do single “Cold Heart (PNAU Remix)”, com Dua Lipa (ouça abaixo), terá 16 faixas, 10 delas inéditas, que celebram a amizade e parceria.

Esta é uma reunião de artistas de peso que somente um astro como Elton com seu carisma poderia atrair para o projeto. “A última coisa que eu esperava, durante o lockdown, era fazer um álbum. Mas, à medida que a pandemia avançava, projetos pontuais continuavam surgindo. Algumas das sessões de gravação tiveram que ser feitas remotamente, via Zoom, o que obviamente eu nunca tinha feito antes”, revela o músico.

Elton John destaca que as sessões foram gravadas sob rigorosas normas de segurança, entre as quais trabalhar com outro artista, mas separado por telas de vidro. “Todas as faixas em que trabalhei eram realmente interessantes e completamente diferentes de tudo pelo que sou conhecido. Tive de sair da zona de conforto, entrando num território completamente novo. E percebi que havia algo estranhamente familiar em trabalhar assim. No início da minha carreira, no fim dos anos 1960, eu atuava como músico de estúdio. Trabalhar com diversos artistas neste período de isolamento social me fizeram lembrar disso. Fechei um círculo: voltava a ser um músico de estúdio”, descreve Elton, dando pistas da atmosfera de “The Lockdown Sessions”.

 

Deixe uma resposta