Plataforma de LançamentosVideoclipes

Plataforma de Lançamentos – nº 33

plataforma de lançamentos

Nesta edição a Plataforma de lançamentos traz os novos lançamentos em vídeoclipe dos cariocas Anna Ratto, Roberta Spindel e o grupo MEB e uma viagem ao Sertão de Moxotó (PE), ciceroneada pelo pernambucano Charles Theone. Vamos assistir?

Ligado a Arnaldo

Chegou às plataformas de streaming “Ligado a você”, primeiro single do álbum “Contato Imediato – Anna Ratto visita Arnaldo Antunes”, o primeiro trabalho em que a cantora e compositora se revela exclusivamente como intérprete. “Poeta de tantos insights, amo a maneira como o Arnaldo traduz e percebe o mundo, as relações, a vida. Nos livros e nas canções, Arnaldo é mestre em harmonizar palavras de uma maneira toda própria, como ninguém mais faz”, comenta a artista carioca. O projeto ganhou forma com a chegada do músico, compositor e produtor Liminha, produtor e parceiro de Arnaldo, nos Titãs e na carreira solo. Sobre “Ligado a você”, Anna Ratto comenta: “Essa música me foi reapresentada pelo próprio Liminha, já na primeira reunião de repertório. Ele brincou chamando de ‘nepotismo’ por se tratar de uma parceria dele com Arnaldo, mas queria muito ouvi-la numa voz feminina. Adorei a ideia. Já tinha achado a letra sensacional, mas cantando em casa me dei conta do quanto ela tinha a ver com o que estávamos vivendo. Provavelmente escrita para um contexto de casal, a letra diz que mesmo separados seguimos ligados, de várias maneiras. E todos fomos separados fisicamente de pessoas que a gente queria ter por perto”.  O single chega com um videoclipe criado a partir de imagens registradas no começo do processo em parceria com o designer Pedro Colombo. Assista:

 

Almas que se esperam

 “Perdida Em Alto Mar” é o terceiro single do EP com seis faixas que Roberta Spindel está lançando gradualmente até o fim do ano. Mais uma canção autoral, desta vez em parceria com Ricardo Sjöstedt que também dividiu o arranjo e a produção musical com Roberta. A canção, diz Roberta, é a história de uma alma que espera pela outra. “Fala sobre um amor de primeiro encontro que sonha calado. Fala também sobre levar o amor consigo pelos mares das incertezas. Sobre guardar dentro de si o que há de mais puro e deixar o barco ir”. O arranjo com instrumentos acústicos criam a atmosfera para que a cantora solte a voz. Roberta é acompanhada de Ricardo Sjöstedt (piano), Marcílio Figueiró (violão), Léo Mucuri (percussão), Thais Ferreira (cello) e Augusto Matoso (contrabaixo). O clipe, dirigido e editado por Fred Carvalho, mostra Roberta cantando em lugares inusitados como praças e no topo de prédios no Leblon.

 

Uma câmera na mão e caixas na cabeça

Composta por Zé Luiz Rinaldi com a cantora Ticiana Passos, a faixa “Sim” precede a chegada de “Cabeça Doce”, segundo disco de poesias transformadas em música, marca do projeto MEB – sigla para Música  Extemporânea Brasileira – e que será lançado em outubro junto com um livro de provocações poéticas. A banda é completada por Alexandre Rabello (baixo) e Élcio Cáfaro (bateria). O samba “Sim” é, para o MEB, “o centro irradiador de ‘Cabeça Doce’. Seu clipe surgiu do argumento poético de Rinaldi, que trouxe a ideia de termos cabeças dentro de caixas e que cada caixa teria o seu universo. “Brincamos com as escalas diferentes dos objetos, além de misturar elementos reais e psicodélicos. Buscamos a relação entre o simbolismo dos elementos e os significados”, explica Felipe O’Neill, que dirigiu o vídeo. “Parafraseando Glauber Rocha, é ‘Uma câmera na mão’ e uma caixa na cabeça. A proposta do clipe é expandir para além da caixinha, através de símbolos e imagens de diversos universos fantasiosos e paradoxais que combinam com a canção”, completa. Assistam:

 

Cantar o sertão

“Inajá Iê” é o terceiro single do álbum “Forró Colorido”, de Charles Theone, recém-lançado nas plataformas digitais. Neste xote com legítima levada de pé-de-serra, o cantor e compositor pernambucano fala dos sabores e valores de seu povo e suas  raízes. O título da canção remete à sua cidade natal, Inajá, encavada no Sertão do Moxotó. No clipe, o diretor Max  Levay introduz imagens de rara beleza e cor que traduzem a riqueza cultural do povo sertanejo e num depoimento no meio do vídeo, o artista justifica a opção de cantar sua terra, sua gente. Confiram aqui:

 

Deixe uma resposta