InstrumentalJazzMPB

Raridade do Tamba Trio é resgatada

O excelente acervo musical do canal da Sala Cecília Meireles no YouTube recebe nesta sexta-feira (22) um reforço de peso. Trata-se de um concerto do genial Tamba Trio, formado por Luiz Eça (piano), Hélcio Milito (bateria) e Bebeto (baixo) em 1983, quando o grupo comemorava 20 anos de atividades. Outros instrumentistas já haviam passado pelo trio desde sua criação, mas a formação original sempre foi celebrada como a melhor do conjunto.

O Tamba Trio acompanhou grandes cantores como Edu Lobo, Wanda Sá e o Quatrteo em Cy e foi um dos expoentes de uma geração de grupos instrumentais na MPB, como o Zimbo Trio, o Jongo Trio e o Bossa Três, que consagrou a formação piano, baixo e bateria. Hélcio Milito recorda que aquela época foi “a primeira vez que os músicos saíam da função de simples acompanhantes para aparecer como artistas.” Ouça aqui o áudio desta apresentação na íntegra:

Frank Acker foi o responsável pela captação do áudio de cerca de 1,4 apresentações de músicos entre as décadas de 1960 e 1990, entre as quais o show do Tamba Trio, de 1983 - Foto: Acervo Pessoal
Frank Acker foi o responsável pela captação do áudio de cerca de 1,4 apresentações de músicos entre as décadas de 1960 e 1990, entre as quais o show do Tamba Trio, de 1983 – Foto: Acervo Pessoal

O áudio deste concerto histórico do Tamba Trio foi captado por Frank Justo Acker (1921-1999), profissional de gravação que registrou cerca de 1,2 mil apresentações somente na Cecília Meireles e foi recuperada por Alexandre Dias, do Instituto Piano Brasileiro (IPB). O acervo integral de Acker reúne gravações de incontáveis concertos entre as décadas de 1960 e 1990. O profissional também gravou LPs de diversos músicos.

“Frank não gravava de maneira puramente técnica, mas sim com um ouvido artístico, intuitivo e certeiro. Em suas gravações há algo de inexplicável, um calor humano, um som tridimensional, que faz com que nos sintamos dentro da Sala Cecília Meireles, local onde foram feitas a maioria das gravações”, define Dias, acrescentando que o acervo pessoal de Acker foi para o  que. Outra característica sua era a de direcionar suas gravações para o IPB por inciativa de Clara Acker, filha do profissional.

O acervo de Acker, explica Alexandre Dias, é gigantesco e complexo. Às vezes, destaca, o programa impresso do concerto consta dentro da caixa junto com a fita de rolo. Em outras situações, há apenas algumas anotações no verso da caixa ou até nenhuma informação. “Cada caso exige uma estratégia diferente, sendo necessário recorrer-se a outros acervos, programas de concerto, matérias de jornal, e até mesmo aos próprios intérpretes, quando possível, para que tenhamos informações mais precisas sobre cada gravação”, afirma.

Saiba mais em:

Tributo a Luiz Eça agora chega em DVD ao vivo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *