Soul

Última canção de Gerson King Combo ecoa morte de George Floyd

gerson king combo

Autor de “Negro Gato” de se outras canções que estouraram na Jovem Guarda como “O Feio” e “Pega Ladrão”, Getúlio Cortes só veio a lançar seu primeiro álbum como intérprete em 2018, quando completou 80 anos. Outra importante contribuição sua para a música foi fazer com que seu irmão mais novo começasse a ouvir álbuns de Elvis Presley e Little Richard. O nome do caçula? Gerson King Combo.

A primeira parceria dos irmãos viria a ser “Mandamentos Black”, um dos primeiros sucessos de Gerson King Combo, que se notabilizaria como o Rei da Black Music no Brasil, e um autêntico hino à negritude e influenciador de toda estética do orgulho negro e do próprio despertar de uma geração.

Neste ano, duas semanas antes da morte de Gerson King Combo, os dois irmãos gravaram “Tira Esse Joelho Daí”, com referências explícitas ao assassinato do americano George Floyd por policiais em Atlanta (EUA). “O mundo estarrecido, viu, no chão homem caído, porém ninguém lhe deu a mão / Sou afrodescendente, e muito consciente, é tempo de tomar decisão / No mundo se diz, que a nossa pele tem raiz, o meu sangue é vermelho (sem distinção de cor) / Não aceito e não tolero, minha tolerância é zero, pra covardia e sua discriminação (comigo não, comigo não)”, alerta a canção, com letras de Getúlio e lançada nesta segunda (30) – o dia do aniversário do irmão ausente – nas plataformas digitais. Ouça o single aqui:

E Getúlio sabe que ainda hoje, mais do que uma reforma estética, a realidade é dura e nos mostra que ainda há muito a ser feito em busca do fim do preconceito e de uma igualdade racial. Os negros continuam sendo a principal vítima da violência no mundo e, particularmente, no Brasil, onde representam 75,7% das mortes, segundo o Atlas da Violência 2020 divulgado em agosto. E, somando-se a essas mortes, o recente assassinato de um homem negro, covardemente espancado por seguranças em um supermercado no sul do País.

Gerson King Combo, em sua música de despedida, reflete com exatidão sua obra: uma sonoridade rica, marcada pelo funk e soul, com groove e balanço envolventes, somada a força das palavras e mensagens conquistam o público de forma natural, garantindo que a exaltação da cultura e a luta do povo preto permaneçam vivas e se repercutam a necessária e urgente mensagem pelo fim do racismo.

“Tira esse Joelho Daí” teve a produção musical assinada por Marquinho OSócio e chega ao mercado pelo selo Amplifica Records, voltado a impulsionar o trabalho de artistas negros no Brasil e no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *