Rock

A viagem disco do Foo Fighters, ops… do Dee Gees

Foo Figthers - Foto: Magadalena Wosinska
Capa do álbum 'Hail Satin', do Foo Fighters, que mescla covers dos Bee Gees e versões ao vivo gravadas em estúdio de canções álbum 'Midnight Medicine'
Capa do álbum ‘Hail Satin’, do Foo Fighters, que mescla covers dos Bee Gees e versões ao vivo gravadas em estúdio de canções álbum ‘Medicene at Midnight’

Banda icônica da geração grunge, o Foo Fighters embarcou numa viagem musical nos embalos setentistas dos sábados à noite. É isso mesmo! Dave Grohl & Cia lançaram no último fim de semana o álbum “Hail Satin” – no qual o grupo assume o alter-ego Dee Gees, um tributo aos Bee Gees. E para a viagem ter coerência com a atmosfera das pistas de dança, o trabalho também foi lançado em formato LP.

“Hail Santin”, cujo título traz um trocadilho (algo como “Ave, Cetim”, em tradução livre), foi parcialmente gravado no badalado Studio 606 da banda e entrega aos fãs um lado com clássicos do trio de irmãos australianos que fez história no universo pop do fim dos anos 1970, graças a participação na trilha sonora do filme “os Embalos de Sábado à Noite” (1977), estrelado por John Travolta.

Os integrantes do Foo Figthers assumindo o alter ego Dee Gees - Fotos: Magadalena Wosinska
Os integrantes do Foo Figthers assumindo o alter ego Dee Gees – Fotos: Magadalena Wosinska

Estão lá “You Should Be Dancing”, “Night Fever” e “More Than a Woman”, da trilha de “Os Embalos de Sábado à Noite”; “Tragedy”, o principal single do álbum “Spirits Having Flown” (1978); e “Shadow Dancing”, de Andy Gibb, o irmão caçula de Robin, Maurice e Barry Gibb, que também brilhou em carreira solo na esteira do sucesso do grupo.

Já no lado B da bolacha, os Dee Gees dão lugar aos Foo Fighters que atacam com versões modificadas e tocadas ao vivo de faixas de “Medicine at Midnight”, álbum lançado no começo do ano, com destaque para “Shame Shame” e “Waiting on a War” e uma versão demolidora de “Cloudspotter”.

A versão de “You Should Be Dancing”, que ganhou videoclipe, já havia sido tocado pela banda durante participação no programa de Jo Wiley, na BBC, no qual as bandas que se apresentam devem mostrar um cover.

Dave Grohl conta como a ideia de gravar os hits dos Bee Gees. “Estávamos indo ao estúdio todos os dias e filmando coisas, gravando coisas. Em um dia, tínhamos nossa lista de coisas que deveríamos fazer e lá dizia: ‘gravar um cover para Jo’. Enquanto tínhamos essa conversa, alguém disse: ‘ei, você viu aquele documentário dos Bee Gees?’. E eu era tipo a última pessoa na Terra – a única pessoa que não tinha visto! Então eu disse: ‘por que não fazemos uma música dos Bee Gees?’. Alguém falou: ‘ok… como você quer fazer isso?’. E eu: ‘bem, vamos fazer como os Bee Gees’”, recorda.

Fazer como os Bee Gees implicaria no vocalista do Foo Fighters cantar num timbre muito diferente daquele que conhecemos. “Começamos a gravar as faixas instrumentais e eu pensei: ‘ok, vou lá cantar’… vou te dizer que nunca, nunca tinha cantado assim na vida, mas foi a música mais fácil que eu já cantei em toda a minha vida! Eu cantei a música e em seis minutos eu tinha terminado. Eu devia ter cantado assim pelos últimos 25 anos!”, comenta o roqueiro.

Ouçam aqui ‘Hail Satin’, com os covers dos Bee Gees e as pedradas de “Medicine at Midnight”:

Leia mais em:

Mick Jagger e Dave Grohl lançam single

Deixe uma resposta