Música de ConcertoUncategorized

Andrea Bocelli anuncia ‘Believe’, seu novo álbum

Andrea Bocelli
Capa do álbum 'Believe', de Andrea Bocelli, que chega às plataformas digitais em 13 de novembro - Foto: Divulgação
Capa do álbum ‘Believe’, que chega às plataformas digitais em 13 de novembro – Foto: Divulgação

Depois de comover o mundo no concerto de Páscoa em que cantou sozinho no domo da catedral de Milão e obteve desde então 41,4 milhões de visualizações no YouTube, o tenor Andrea Bocelli anunciou para 13 de novembro o lançamento de seu mais novo álbum, “Believe”(veja o trailer), em mais uma clara demonstração do poder que a música pode exercer em tempos tão difíceis como neste ano marcado pela pandemia e que desafiam a fé do ser humano.

No disco, que chega ao mercado nos formatos padrão (com 14 faixas) e Deluxe (com 17 faixas) conta com a participação da estrela americana Alison Krauss – vencedora de 27 Grammys – numa interpretação forte e emocionante da clássica e “Amazing Grace”. A interpretação solo de Bocelli para este tema encerrou de forma tocante sua apresentação solitária no especial “Music For Hope”, em 12 de abril e que você pode relembrar aqui:

“Believe” resgata a emoção proporcionada por “Music for Hope” e traz dois duetos com Cecilia Bartoli, cantora-líder de ópera, uma faixa inédita do saudoso compositor italiano, Ennio Morricone, e ainda “Gratia Plena” – a música de encerramento do filme “Fátima”.

Extremamente religioso, Bocelli conta que este trabalho tem para ele um significado profundo. “O conceito por trás do acreditar baseia-se em três palavras: fé, esperança e caridade – as três virtudes teológicas do cristianismo. No entanto, independente de qualquer crença religiosa, são também as três chaves que dão sentido e plenitude à vida de cada um de nós”, reflete o artista, que nasceu praticamente cego em função de um glaucoma e perdeu a visão total aos 12 anos.
Sobre o dueto com Alison Krauss, cantora de country-bluegrass, Bocelli derrama-se em elogios: “Que experiência! Fantasticamente surpreendente!”.

“Believe”, que foi coproduzido por Steven Mercurio e Haydn Bendall, é uma coleção de canções que elevam o espírito e têm inspirado e amparado Bocelli ao longo dos anos. Além dos duetos com Krauss e Bartoli, há também a música “Inno sussurato” (‘Whispered Hymn’), uma nova composição de Ennio Morricone, colaborador de Bocelli por muitos anos. O álbum ainda conta com as favoritas já conhecidas, como “Hallelujah” e “You’ll Never Walk Alone”.

Bocelli também compôs os arranjos musicais de “Ave Maria” e “Padre Nostro” especialmente para este álbum. “Não me considero um compositor, mas sou músico, e às vezes me vêm à cabeça certas melodias, com harmonias praticamente completas… Música que bate à porta da minha alma e que eu acolho com prazer, e depois libero, pondo caneta no papel”.
Há também melodias como “Mira Il Tuo Popolo”, que o transporta aos tempos em que era menino na Toscana. “Elas representam a trilha sonora das lembranças da minha infância”, acrescenta o cantor.

Andrea Bocelli apresenta-se no Duomo de Milano - Foto: Lucca Rossetti/Decca Records
Andrea Bocelli apresenta-se no Duomo de Milano – Foto: Lucca Rossetti/Decca Records

Outra joia por se revelar em “Believe” é a canção “Fratello Sole Sorella Luna (Dolce è Sentire)”, do filme “Irmão Sol, Irmã Lua”, de Franco Zeffirelli, com música composta por Riz Ortolani. Bocelli também pinçou para este delicado repertório “Angele Dei”, obra recém-descoberta de Puccini, com arranjos de Michael Kaye e estreada pelo tenor em apresentações ao vivo no ano passado. Como esta peça fora composta sem letra, Bocelli sugeriu palavras de uma oração dirigida ao anjo da guarda.

Com uma carreira repleta de prêmios e que se estende por quase 30 anos, os timbres emotivos deste tenor são facilmente reconhecíveis mesmo para quem não é tão familiarizado com o canto lírico. Adepto de encontros musicais com outros artistas, já fez trabalhos com o colega Luciano Pavarotti, com os pop stars Ariana Grande, Jennifer Lopez, Christina Aguilera, Ed Sheeran, Dua Lipa, Céline Dion e Tony Bennett, entre outros.

Um dos cantores líricos mais célebres da história moderna, Bocelli costuma reunir multidões nos grandes eventos em que toma parte, incluindo cerimônias de abertura ou encerramento de Jogos Olímpicos ou Copas do Mundo, além de acumular prêmios musicais mundo afora. Seu álbum anterior, “Si”, alcançou o 1º lugar nas paradas dos Estados Unidos e do Reino Unido. Ouça aqui:

 Ainda comentando o poder da música para curar as doenças da alma, Bocelli acredita na importância de se tocar na essência de cada indivíduo seja qual fora sua orientação religiosa. “A boa música traz consigo uma poderosa mensagem de paz e camaradagem, e nos ensina sobre a beleza e nos ajuda a abrir o coração e a mente”, ensina.

Veja mais em:

Andrea Bocelli, a voz que uniu o planeta na Páscoa do recolhimento

Andrea Bocelli volta a emocionar. Desta vez com vídeo de fãs

Deixe uma resposta