Bossa NovaPop

Baia Bossa Dylan, um tributo ao Bardo (com baianidade)

Baia - Foto: Divulgação

Com 25 anos de carreira e uma trajetória globetrotter, que inclui 10 álbuns e um DVD ao vivo, o cantor e compositor Maurício Baia está vivendo há um ano e oitos meses nos Estados Unidos e seu primeiro trabalho em solo americano é justamente um tributo a um ícone do rock e da folk music. No próximo dia 1º, ele fará no The Cutting Room, em Nova York, o show de lançamento do álbum “Baia Bossa Dylan”, uma releitura das canções do Bardo com uma batida de cool jazz ou de Modern Bossa Nova que é o termo que os americanos gostam de usar para trabalhos inspirados na Bossa Nova, porém mais eletrificados. Sua versão para uma grandes criações de Dylan, “Knocking on Heaven´s Door” (1973), gaganhou um videoclipe que já pode ser visto no Youtube. Na próxima semana será a vez do vídeo de “Jokerman” (1983), que já mereceu uma versão de Caetano Veloso no álbum “Circuladô”. Veja e ouça aqui o clipe que teve a direção de Christian Pollock:

Baia e o produtor e arranjador Sandro Albert selecionaram oito canções de Bob Dylan, sendo metade delas trabalhos menos conhecidos do ídolo. Completam o EP “You’re a Big Girl Now” (1975), “Mama, You’ve Been on My Mind” (1991), “Blowin’ in the Wind” (1963), “Simple Twist of Fate” (1975), “Lay Lady Lay” (1969) e “You’re Gonna Make Me Lonesome When You Go” (1975). Sandro é conhecido por tocar e produzir nomes como: Dionne Warwick, Patty Austin, Leon Ware, James Ingram, Rod Stewart , Brenda Russell, Milton Nascimento, Lenine, Toninho Horta, Jorge Vercillo e outros. “Me aproximei do Sandro por intermédio de uma amiga em comum, quando estive em Nova York alguns anos antes mesmo de me mudar para América. Ele foi fundamental nesta sonoridade internacional que o álbum adquiriu, me colocando em contato com grandes músicos e engenheiros de som americanos. Sempre que encontro com ele, conheço alguém de dimensões históricas, como o baterista Phil Young”, conta Baia.

Um baiano mergulhado na poética de Dylan

A dupla recrutou músicos brasileiros e americanos para esta gravação, entre os quais o baterista João Viana (filho de Djavan) que, além do pai, já tocou com Cassia Eller e Nando Reis. Outro nome de destaque é o do percussionista Bashiri Johnson que dividiu o palco ou estúdio com nomes de peso da música internacional como Miles Davis, Sting, Whitney Houston e Michael Jackson. Baiano com sotaque pronunciado Baia preocupou-se em cantar com clareza para os ouvidos americanos. Funcionou. E nos backing vocals, contou com a participação das cantoras Iara Negrette e Pam Steebler, ambas do Brooklyn. E a mixagem teve a assinatura de Kevin Killen, detentor de cinco Grammys por trabalhos com artistas como Bon Jovi, David Bowie, Elvis Costello, Kate Bush, Peter Gabriel, Shakira e Tori Amos.

Sendo uma grande referência mundial, Bob Dylan inspira roqueiros, poetas, rappers, o country e o gospel, além de  uma infinidade de fãs ao redor do mundo. “Minha humilde intenção é, além de presentear o homenageado, foi a de alcançar os corações dos amantes de Bob Dylan e da Bossa Nova. Esse trabalho não é um cover, mas uma releitura”, insiste Baia, que teve a primeira ideia do projeto quando dedilhava ao violão em casa os acordes de You’re a Big Girl Now”, que tornou-se a faixa de abertura do EP. “Volta e meia estou em casa tocando dessa canção. Usei um lá menor e fui introduzindo umas sétimas bem no conceito da Bossa Nova”, lembra Baia, concordando que os novos arranjos, embora muitas vezes mais elaborados e complexos que os originais, destacam ainda mais a poética de Dylan, premiado com o Nobel de Literatura em 2016.

Baiano que viveu no Recife na juventude mas passou a maior parte do tempo no Rio, onde desenvolveu a carreira musical, Baia tocou em vários festivais no Brasil e no exterior e conquistou o Prêmio da Música Brasileira de 2009 com o grupo 4 Cabeça com os parceiros Gabriel Moura, Rogê e Luis Carlinhos. O foco, agora nos Estados Unidos, é trabalhar seu primeiro álbum em língua inglesa e, quem sabe, fazer com que “Baia Bossa Dylan” seja ouvido pelo homem que inspirou o projeto. Além dos shows em solo americano, o cantor planeja apresentar “Baia Bossa Dylan” em breve no Brasil. Estou negociando datas para o fim do ano”, antecipa.

Deixe uma resposta