MPB

Claudio Nucci relê seus sucessos e lança três inéditas

Capa do álbum 'Direto do Coração', de Claudio Nucci - Foto: Divulgação
Capa do álbum ‘Direto do Coração’, de Claudio Nucci – Foto: Divulgação

“Você lembra, lembra? Naquele tempo eu tinha estrela nos olhos e um jeito de herói”. Como não lembrar de “Sapato Velho”, parceria de Claudio Nucci, Paulinho Tapajós e Mú Carvalho gravada originalmente pelo Quarteto em Cy e eternizada pelo Roupa Nova. Assim como “Toada”, de Nucci com Zé Renato e Juca Filho, canção que catapultou o disco de estreia do inesquecível Boca Livre. Esses dois grandes sucessos ganham novos registros em “Direto no Coração – 40 Anos de Acontecências”, em que o cantor e compositor comemora quatro décadas do lançamento de seu primeiro álbum solo, “Cláudio Nucci” (1981), e que chega aos aplicativos de música nesta sexta-feira. Realizar um álbum em tempos de isolamento social foi um desafio. As faixas foram gravadas nos Gravado nos estúdios Midstudio, Doispo2, Amendoeiras, Mirante, Elegant Fish, Reco de Mola e Atelier Music Studio, além dos home studios dos músicos convidados, destaca Claudio Nucci.

O repertório mais do que feliz traz ainda mais oito sucessos compostos por Nucci, muitos ainda cantarolados Brasil afora que fizeram parte de trilhas sonoras de novelas. , além de três canções inéditas, incluindo “Caçada Humana”, uma parceria com o saudoso poeta Aldir Blanc, lançada como single em fevereiro deste ano. Em clima de festa, o artista fará uma live de lançamento neste dominho (28), às 17h, no YouTube do artista, direto de Nova Friburgo (RJ), onde Nucci radicou-se há alguns anos.

Paulista de Jundiaí (SP), Claudio Nucci resolveu “sair por essa vida aventureira”, como diz o verso de “Toada”, bem jovem. Tinha apenas 23 anos quando o Boca Livre, grupo vocal que formara com Zé Renato, David Tygel e Maurício Maestro, lançou seu retumbante disco de estreia, alcançando 100 mil cópias de forma independente em 1980 – um marco inimaginável para a época. Remontam a esse período as canções iniciais do disco de “Direto no Coração” como “Amor Aventureiro”, da trilha da novela “Eu Prometo” (1983); “Levezinho” e a doce “Quero Quero”, parceria de Nucci com Mauro Assumpção que esteve em trilha de novela, desta vez “Plumas e Paetês” (1980). Um dueto com Chico Chico e a gaita inconfundível de Áurea Regina marcam a nova versão.

Aliás, participações especiais povoam o novo álbum do artista que, intencionalmente, quis dar novos ares a canções tão queridas do público. Dri Gonçalves, companheira de Nucci, está na regravação de “A Hora e a Vez” (Claudio Nucci, Zé Renato e Cristóvão Bastos), da trilha da novela “Roque Santeiro” (1985) e do disco “Pelo Sim Pelo Não”. O violoncelista Jaques Morelenbaum e o flautista Zé Luis estão em “Vontade de Viver” (Claudio Nucci e Luiz Fernando Gonçalves), outra canção do disco de estreia e que já foi regravada por Emílio Santiago. Na nova versão da eterna “Toada”, Nucci recebe a companhia de Paulinho Moska.

Gravada originalmente por Nana Caymmi no álbum “Mudança dos Ventos” (1980), “Velho Companheiro (Meu Silêncio)”, outra parceria com Luiz Fernando Gonçalves, tem o auxílio luxuoso de Ricardo Silveira na guitarra. A primeira inédita do disco é “Da Nossa Natureza”, composta por Nucci com Rafael Lorga – que ainda participa da faixa, ao lado de Dri Gonçalves e Vittória Braun. Com letra de Cacaso, letrista do Olimpo da MPB, vem a canção “Me Dá a Mão”, lançada originalmente no disco “Melhor de Três” (1984) e que recebe precioso arranjo para quarteto de violoncelos assinado por Jaques Morelenbaum.

“Sapato Velho”, um hit estrondoso com a versão à capella do Roupa Nova em 1981, ganha um arranjo mais próximo da amosfera em que foi composta e traz Pedro Luís dividindo os vocais com Claudio Nucci.  Na sequência final, as duas músicas que dão nome ao disco: a inédita “Direto no Coração”, outra parceria com com Luiz Fernando Gonçalves; e “Acontecência”, composta com Juca Filho, que esteve nas trilhas sonoras de duas novelas: “Brilhante” (1981) e “Coração de Estudante” (2002), com arranjo de sopros concebido pelo grande Carlos Malta. Fecha o álbum “Caçada Humana”, parceria inaugural de Nucci com o nosso saudoso poeta Aldir Blanc e composta há mais de 30 anos, mas só revelada em fevereiro deste ano, quando foi lançada como single.

Acompanhado por Rafael Lorga (percussão), Giovanni Bizzotto (guitarra e violão) e Dri Gonçalves e Vittória Braun (coro), Nucci fará a live de lançamento do álbum neste domingo e na terça (30) será exibido um making of com os bastidores do processo de criação do álbum, com direção de Alexandre Meinhardt. Todos esses eventos acontecem no canal do YouTube do artista: www.youtube.com/claudionucci.

E para fechar, tive o privilégio da participação do querido Claudio Nucci no mais novo episódio do Faixa a Faixa apresentando “Direto no Coração – 40 Anos de Acontecências” e contando histórias sobre o álbum que podem ser ouvidas aqui em lançamento simultâneo com o disco:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *