DuetosMPB

Gal apresenta seus duetos com Rubel e Jorge Drexler

gal costa

Na base do conta-gotas, Gal Costa vem divulgando nas plataformas digitais as faixas que vão compor seu próximo álbum, composto por 10 duetos com vários artistas numa releitura de suas canções imortais. Sem nome definitivo, o projeto atende pelo nome de “Gal 75”, alusão aos 75 anos da cantora completados em setembro. O álbum será editado em formato físico (LP e CD) em fevereiro pela Biscoito Fino.

Os próximos dois singles de “Gal 75” trazem um artista com quem Gal já cantou e outro que ela admira há tempos. O cantor e compositor Rubel, fluminense da cidade de Volta Redonda, já havia participado de uma apresentação do show “A Pele do Futuro”, na Fundição Progresso (RJ), pouco antes do isolamento imposto pela pandemia.

Rubel já havia divido o palco com Gal em turnê da cantora em 2019 - Foto: Divulgação
Rubel já havia divido o palco com Gal em turnê da cantora – Foto: Guido

O registro ao vivo de “Baby”, com Gal e Rubel, feito sem maiores pretensões, foi lançado em julho nas plataformas digitais, com ótima repercussão. O jovem artista gravou com a diva “Coração Vagabundo”, mais uma canção de Caetano Veloso, originalmente lançada no álbum “Domingo” (1967), primeiro de Gal Costa e Caetano.

“Meu coração não se cansa de agradecer o privilégio que é poder cantar uma das minhas músicas preferidas, de um dos meus discos preferidos (domingo), ao lado da maior cantora do Brasil. Tentei ser o mais fiel possível à estética minimalista do próprio disco ‘Domingo’, do violão João Gilbertiano do Caetano, respeitar e reverenciar o que já é perfeito e belo. Essa é nossa segunda parceria. Espero que a segunda de muitas”, festeja Rubel, em citação explícita a poesia de Caetano. Ouça aqui a gravação que será incluída no álbum da cantora baiana acompanhados pelos músicos Felipe Pacheco Ventura (violinos, violas e arranjo de Cordas) e Marcus Ribeiro (cellos):

 

 

Um uruguaio em sintonia com o Brasil

Jorge Drexler - Gal Costa
O uruguaio Jorge Drexler é um grande conhecedor da música brasileira – Foto: Jesus Cornejo

Ao uruguaio Jorge Drexler – um admirador confesso da música brasileira e que acumula colaborações com artistas brazucas, como Paulinho Moska e Leninel, além de ter composto a trilha sonora do longa “Diários de Motocicleta”, de Walter Salles –  coube o desafio de gravar com Gal, em perfeito português, a canção “Negro Amor”, versão de Caetano Veloso e Péricles Cavalcanti para “It’s All Over Now, Baby Blue”, de Bob Dylan. A gravação original foi lançada em 1977, no LP “Caras e Bocas”. Em Madri, onde vive, Drexler gravou sua participação para o projeto. Em entrevista concedida em 2019, durante sua turnê brasileira, o uruguaio, que fala um português muito bom, conta que quando veio ao Brasil pela primeira vez, para um mochilão que marcou sua vida, no verão de 1984, já falava nossa língua. E acredita que aprendeu com a música brasileira, que adora. E cita um tripé de excelência baiana formado por João Gilberto, Caetano e Gilberto Gil, além de artistas como Chico César, Roberta Sá e nomes mais novos como Marcelo Camelo e Rodrigo Amarante.

E este conhecedor da música brasileira escreveu uma décima para Gal. Em poesia, décima é uma estrofe com 10 versos:

“Boca de carmín profundo / Noche profunda en el pelo / Y una voz que es puro anhelo, / Todo el anhelo del mundo. / En aquel primer segundo / Que oí su canto floral /- Hecho de seda y cristal – / Mi corazón juvenil / Pensó “ya entiendo Brasil: / Brasil es la voz de Gal.” 

Que em português ficaria mais ou menos assim:

Boca de carmim profundo, / Noite profunda o cabelo, / É uma voz puro desejo: / Todo o desejo do mundo. / Naquele primeiro segundo / Que ouvi seu canto floral / – Feito de seda e cristal – / Meu coração juvenil / Pensou “já entendo o Brasil: / Brasil é a voz de Gal”.

Ouça aqui o belo encontro entre o poeta e a musa, que tem como músicos participantes, elém de Drexler ao violão, músicos Felipe Pacheco Ventura (violinos, violas e arranjo de Cordas) e Marcus Ribeiro (cellos):

Outras participações em Gal 75

O projeto “Gal 75” reúne, em ordem alfabética, os convidados Criolo, Rubel, Rodrigo Amarante, Seu Jorge, Silva, Tim Bernardes, Zé Ibarra e Zeca Veloso; o português António Zambujo e o uruguaio Jorge Drexler completam a lista. Por terem sido produzidas em meio à pandemia, as dez faixas foram gravadas em seis cidades: Rio de Janeiro, São Paulo, Lisboa, Madri, Los Angeles e Vitória.

Leia mais em:

Álbum de duetos de Gal Costa ganha mais dois singles

Crédito da foto em destaque: Julia Rodrigues

Deixe uma resposta