DuetosMPB

João Cavalcanti e o pai Lenine lançam a segunda parceria: “Bicho Saudade”

Na semana do dia dos pais vale conferir o belo single que o cantor e compositor João Cavalcanti lançou com seu pai Lenine. No esquema íntimo voz e violão, a dupla interpreta Bicho Saudade, já disponível nas plataformas digitais. Gravada ao vivo no estúdio da Som Livre, na Barra, a canção ganhou um clipe com direção de Maria de Médicis. A letra de João remonta os tempos que o pai começava a projetar sua carreira nacional e internacionalmente e, portanto discorre sobre saudades. Hoje com três filhos, o músico se vê na mesma situação mas agora na perspectiva de pai. “Escrevi mentalmente esse poema em 2016, caminhando pela rua, às vésperas de uma turnê de mais de dois meses que faria pelos Estados Unidos. Na época, eu e Miriam tínhamos dois filhos, Tom e Luna. Eu estava apavorado, por mim e por eles. A saudade que eu sabia que sentiria era tão real que poderia ser tocada. Um bicho – foi a imagem que me surgiu”, explica João.

Martin, o terceiro filho, foi gerado quando João Cavalcanti retornou dessa turnê quando ainda era do Casuarina. Agora João tinha três filhos, assim como seu pai, e parecia óbvio que esse tal bicho deveria ter dupla paternidade. João mandou o poema e Lenine fez dele canção. “É muito inusitado. Já fiz parcerias com várias pessoas, mas, quando me deparo compondo com meu filho, percebo que tem um grau de intimidade e de troca que vai além de meramente duas pessoas se juntarem para fazer música. Gravar com ele, só nós dois, eu ao violão, foi realmente muito especial”, conta Lenine.

‘A Causa e o Pó’ foi a primeira parceria entre pai e filho

Esta é a segunda vez que pai e filho são parceiros numa canção. A primeira foi A Causa e o Pó, que o artista pernambucano gravou em seu álbum Carbono, de 2015. Confira aqui o depoimento de Lenine na época sobre a parceria e do envolvimento de João Cavalcanti e dos irmãos Bruno e Bernardo, que ajudam o pai nos backing vocals por terem um timbre muito parecido:

Em Bicho Saudade versos métricos e precisos como “Saudade é um bicho grande / Muito maior do que eu penso / Quão mais se expande, mais denso / Quão mais denso, mais se expande / Saudade é um bicho imenso” recebem a inconfundível batida do violão de Lenine que tão bem une melodia e ritmo com uma síncope própria. Veja o clipe aqui:

Leia mais sobre João Cavalcanti e sua carreira solo no link abaixo:

João Cavalcanti, a palavra e a canção

Deixe uma resposta