MPB

Kleiton & Kledir em 40 anos de carreira: Bah, tchê!!!

Kleiton & Kledir

Para o ano de 2020, a dupla Kleiton & Kledir havia preparado uma extensa programação para celebrar 40 anos de trajetória. A chegada da pandemia adiou vários projetos que, aos poucos, começam a ser retomados. A celebração começaria em março de 2020 com o espetáculo Kleiton & Kledir + OSPA (Orquestra Sinfônica de Porto Alegre) na capital gaúcha e com sequência em São Paulo e Rio. Os irmãos Ramil seguiriam para shows em Nova Iorque, entre outras cidades norte-americanas, e previa o lançamento de biografia, exposição retrospectiva multimídia, cinebiografia dirigida por Edu Felistoque e um programa especial para a TV.

Enquanto os demais projetos aguardam confirmação, o espetáculo “Kleiton & Kledir 40 anos” estreia oficialmente nesta quinta-feira com transmissão simultânea no canal da dupla no canal 500 da Claro TV e no canal do Teatro Claro Rio no YouTube.  O show é uma retrospectiva de grandes momentos de Kleiton & Kledir, repleto de histórias e canções, e marca ainda o reencontro dos irmãos no palco, desde o início da pandemia (o último show presencial havia sido em janeiro de 2020).

“Será basicamente uma retrospectiva do melhor que já fizemos em palco, mas além dos sucessos, vamos lembrar também músicas que consideramos importantes na nossa carreira, mesmo que não tenham sido tão divulgadas. E vamos cantar pela primeira vez ‘Paz e Amor’, single que lançamos em plena pandemia com o MPB4, que fala de esperança em meio a essa loucura que estamos vivendo”, antecipa Kledir.

Durante o período que passaram longe dos palcos, as lives entraram na agenda. “No início foi um pouco estranho cantar olhando para um aparelho de celular, mas a gente acaba se acostumando. Acredito que teremos futuramente um formato híbrido, somando o show presencial com a transmissão online”, prevê. Assista aqui a live da dupla para o projeto #EmCasaComSesc, exibida em abril deste ano:

Kleiton concorda e vai além: “Os artistas tiveram que se adaptar ao isolamento e tentar fazer o que era possível, com prazer. Nada substitui os encontros presenciais, mas acredito que muitas coisas que deram certo serão aproveitadas. O fato de poder atingir um público enorme através da internet, que naturalmente supera qualquer teatro, é atraente. Pode tornar-se uma nova forma de se comunicar, ampliando plateias”, defende.

O show será realizado sem a presença de público no Teatro Claro Rio. Toda a equipe de profissionais por trás dessa realização, além da dupla e dos músicos Adal Fonseca, André Gomes e Dudu Trentin, seguirão à risca os protocolos de segurança. No repertório, composições da dupla como “Deu Pra Ti”, “Maria Fumaça”, “Vira Virou”, “Paixão”, “Navega Coração”, “Estrela, Estrela” e “Nem Pensar” .

Os planos para o futuro incluem a capital gaúcha: “Em julho estaremos em Porto Alegre apresentando finalmente o nosso show com a OSPA. A biografia está em fase de revisão e deve ser lançada ainda este ano”, avisa Kledir.

Kleiton e Kledir despontaram no cenário musical nos anos 1970 quando integraram o grupo gaúcho “Almôndegas”, uma excelente experiência musical que mesclava o regionalismo sulista com sonoridades pop, tendo como hit nacional a inesquecível “Canção da Meia Noite”, incluída na trilha sonora da novela Saramandaia, da Rede Globo. assista aqui o clipe produzido pelo Fantástico e exibido em 1976:

Outro sucesso da banda foi “Androginismo” que, naquela época, abordava questões como a homofobia. A canção foi resgatada pelo pernambucano Almério, que a incluiu em suas apresentações ao vivo. A banda durou apenas quatro anos (1975 a 1979) e os dois irmãos decidiram seguir em dupla numa linha musical que não rompia com a antiga fórmula.

E a dupla produziu bastante. São mais de 20 álbuns autorais gravados entre Brasil, Estados Unidos, Portugal, França e Argentina, além de turnês bem sucedidas no Brasil e exterior. Suas composições foram eternizadas por grandes nomes da música brasileira e internacional, como Caetano Veloso, Ivan Lins, Nara Leão, Simone, Zizi Possi, Xuxa, Fafá de Belém, Chitãozinho e Xororó, Zezé di Camargo e Luciano, Leonardo, Belchior, Emilio Santiago, Cláudia Leitte e muitos outros.

Também pelo mundo afora suas músicas ganharam versões de grandes artistas, como os argentinos Mercedes Sosa e Fito Páez. Ouça aqui a participação de Mercedes Sosa, um ícone da canção latino americana, na gravação de “Siembra” (Vitor Ramil), uma das faixas do álbum “Kleiton & Kledir En Español” (1984):

Receberam o título de “Embaixadores Culturais do Rio Grande do Sul” e foram duas vezes vencedores do troféu de melhor álbum no “Prêmio da Música Brasileira”.

Entre os lançamentos mais recentes estão o infantil “Par ou Ímpar”, com o grupo Tholl e Fabiana Karla, e o projeto Com Todas as Letras que traz parcerias com escritores como Caio Fernando Abreu, Luis Fernando Verissimo, Martha Medeiros e Carpinejar. Antes da pandemia, estavam viajando com os shows K&K – Nenhum de Nós e Casa Ramil, o espetáculo que reúne pela primeira vez no palco os músicos da família, incluindo o irmão caçula Vitor Ramil, também cantor e compositor. Assista aqui os dois irmão dividindo o palco do Teatro São Pedro, em Porto Alegre, com os roqueiros gaúchos numa versão de “Vira, Virou” em dezembro de 2019:

No ano passado, Kleiton & Kledir lançaram o single “Paz e Amor” com o MPB4 – que gravou com os irmãos no segundo álbum do artistas , uma canção inédita, cheia de esperança, e o álbum “Kleiton & Kledir en español” com participações de Mercedes Sosa e León Gieco. Aqui, o single com o MPB4:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *