MPBSamba

Nelson Sargento celebra seus 95 anos no Rival

Árvore frondosa e grandiosa do samba, a Mangueira tem 91 anos de existência. Mas um de seus grandes baluartes já era menino a esperar, ali no terreiro, por seus frutos da mais pura poesia popular. Falo de Nelson Sargento que sobe nesta quinta (25/7) o palco do Teatro Rival para comemorar seus 95 anos de vida com um show tão especial que já teve todos os ingressos vendidos. Não era pra menos, pois até os doentes do pé reverenciam este grande artista.

Com direção musical de Paulão 7 Cordas, o show terá um tom intimista e harmônico. O velho mestre vai interpretar seus grandes sucessos sem deixar de lado bambas que, como ele, representam a glória máxima das Estação Primeira como Cartola, Nelson Cavaquinho, Zé Ketti, Wilson das Neves e Agenor de Oliveira. No repertório, pérolas em verde e rosa como Sinfonia Imortal, parceria com Agenor de Oliveira; Fragmentos do Amor, com o saudoso Wilson das Neves; Falso amor sincero, Agoniza, mas não morre e Primavera. Espetáculo que é mais um presente para o público do que para o próprio artista aniversariante!

Um marechal do samba

Não se engane com o apelido de Sargento para este marechal de cinco estrelas no mundo do samba. Nelson Mattos ganhou esta alcunha por sua breve passagem pelo Exército. Filho de criação de Alfredo Português, um dos fundadores da Mangueira, passou a conviver com Cartola e Nelson Cavaquinho em quem assumidamente se inspirou para começar a compor. De lá pra cá, foram mais de 400 canções escritas. Seus maior sucesso ocorreu em 1978, quando Beth Carvalho gravou Agoniza, Mas Não Morre que é até hoje um autêntico manifesto de resistência do samba. Ainda pintou quadros, com a temática do samba e do cotidiano nas comunidades, como a tela Kizomba (ao lado), escreveu os livros Prisioneiro do Mundo Um certo Geraldo Pereira. Atuou também em filmes: O Primeiro Dia, de Walter Salles e Daniela Thomas; Orfeu, de Cacá Diegues; e Nelson Sargento da Mangueira, de Estêvão Pantoja, com a qual venceu o Kikito, no Festival de Gramado, pela melhor trilha sonora de curta metragem. Veja alguns de seus sucessos e ouça algumas histórias deste bamba em participação no programa “Um Café Lá em Casa”, com o violonista Nelson Farias:

 

Serviço
Nelson Sargento – 95 Anos
Teatro Rival Petrobras (Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia)
25/7, às 9h30. Ingressos esgotados

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *