MPBSamba

O samba moleque de Wilson Moreira

Um time de sambistas sobe nesta terça (27) hoje o palco do Teatro Rival Petrobras em tributo ao cantor e compositor Wilson Moreira. O artista falecido no último 6 de setembro terá suas criações interpretadas por Fabiana
Cozza, Áurea Martins, Ana Costa, Didu Nogueira, Makley Matos, Marquinho de Oswaldo Cruz, Paulão 7 Cordas,
Tânia Machado, Agenor de Oliveira, Darcy Maravilha, Fernando Bento e Susana Dal Poz. O show marca também o lançamento do CD póstumo Tá com Medo, Tabaréu?, com sambas inéditos de temática infanto-juvenil. A gravação do álbum foi finalizada 20 dias antes da morte de Moreira, conta sua viúva a pesquisadora Angela Nenzy. “Ele gravou com toda calma, apesar da doença. Este projeto era a sua menina dos olhos”, explica Angela.

Com direção musical de Paulão 7 Cordas, Tá com Medo, Tabaréu? foi viabilizado graças a uma campanha
de financiamento coletivo organizada pelo Solar Wilson Moreira, um espaço criado em 2011 para a perpetuação da
obra do compositor. O CD reúne sambas inéditos como Um Canto Universal, uma homenagem às mães, e O Bom
Passarinho, um partido-alto divertido inspirado em uma história da infância. O trabalho apresenta ainda dois novos parceiros de composição de Wilson. Ao lado de Toninho Nascimento, Moreira assina Kabula e, com Luiz Carlos Máximo, encanta com Omi Beijada, uma louvação aos Ibejis (orixás crianças, protetores de todos os gêmeos). Assista abaixo, parte da apresentação no Rival, gravada pela equipe do programa “todas as Bossas”, da TV Brasil:

Título do CD remete ao colorido mundo das pipas

Capa do CD póstumo “Tá com Medo, Tabaréu?” – Foto Divulgação

A faixa que dá nome ao trabalho remete a uma expressão popular extraída de uma canção sobre as pipas (“Tá
com medo, Tabaréu? / É de linha de carretel”). “As primeiras canções do CD começaram a ser compostas há seis anos e remetem à infância do Moreira passada na fazenda Raul Leite, na área rural de Realengo. Ele não acreditava que sambas para crianças fosse despertar interesse. Mas em novembro do ano passado, ele cantou três canções do disco num festival de música infantil em Brasília (Musicar). Teve criança subindo no palco para dançar. O Moreira ficou muito feliz. Ele amava crianças e bichos”, conta Angela.

Entre as laranjas, pipas e o gosto pelo batuque, o menino Wilson, cujo primeiro apelido era Amendoim, se faz compositor e defensor das raízes culturais africanas herdadas junto a família que era ligada ao jongo. Iniciou sua vida no universo do samba como percussionista e foi um dos fundadores da Mocidade Independente de Padre Miguel. Anos depois, iria para a Portela e, ao lado de Candeia, fundou o Grêmio Recreativo de Arte Negra e Escola de Samba Quilombo.

Além das novidades, o show resgata sucessos que marcaram os 60 anos de carreira de Moreira, como Senhora
Liberdade e Coisa da Antiga, e canções registradas nas vozes de grandes nomes da MPB, entre os quais Clara
Nunes, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Roberto Ribeiro, João Nogueira, Beth Carvalho, Alcione e Elizeth Cardoso.

Serviço
Tributo a Wilson Moreira – Lançamento do CD Tá com Medo, Tabaréu?
Teatro Rival Petrobras (Rua Álvaro Alvim, 33 – Cinelândia; Tel: 2240-9796).
27/11, às 19h30. Ingressos: R$ 60, R$ 40 (promoção para os cem primeiros pagantes) e R$ 30

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *