MPBRock Brasil

Sérgio Britto e suas novas bossas

Sérgio Britto
Sérgio Britto aposta no formato dos antigos compactos em vinil agora nas plataformas digitais - Fotos: Tony Santos
Sérgio Britto aposta no formato dos antigos compactos em vinil agora nas plataformas digitais – Fotos: Tony Santos

Os fãs dos Titãs estão acostumados a acompanhar os voos solo de seus integrantes. Desta vez Sérgio Britto mostra seu lado de compositor, cantor e instrumentista num projeto muito distinto ao que ele desempenha na banda paulista desde sua formação no fim da década de 1980.

Em seu novo trabalho, Britto segue explorando as sendas abertas nos seus discos solo anteriores mesclando a sonoridade pop, que ele domina, com elementos da MPB e até da Bossa Nova.

Desta vez, foram lançados dois singles como se fossem os antigos compactos em vinil com os lados A e B. E este formato será repetido a cada três meses até que seja completado o álbum de 12 canções.

“Epifania”, o lado A do primeiro compacto, pende mais para o pop. Segundo Britto a música fala de um momento de descoberta ou insight, que é quando de repente a gente tem um pensamento com poder de transformar as nossas vidas ou nos ajudar a achar a solução para algo.

Já “Tradição”, o lado B, tem ingredientes de samba tanto na melodia quanto na parte harmônica. Esta última canção, vale notar, foi gravada ano passado por Elza Soares no seu mais recente trabalho “Planeta Fome”. As duas músicas, como é habitual no trabalho solo de Britto, são extremamente melódicas e apesar das diferenças tem muitos traços em comum.
Junto com o lançamento do trabalho, Britto disponibilizou um clipe de “Epifania”, gravado durante a quarentena, no litoral paulista.

“Tive a ideia de gravar com o que era possível nesse período e parti do princípio de fazer alusão a dois versos que eu acho carregados de significado: ‘Não se esconda mais em meio ao lixo que o mar traz’ e ‘Não se esconda mais na sombra que seu muro faz’”, conta Britto. “As pessoas que aparecem no clipe são meus filhos, quem filma sou eu e meu filho José Britto”, completa. A edição é assinada por Edu Burger com quem Britto dividiu a direção. Assista o clipe aqui:

A ideia de lançar compactos surgiu, a princípio, a partir da vontade de resgatar um formato muito bem sucedido que acabou ficando esquecido na era digital. A ideia é basicamente lançar sempre um single lado A mais pop e acessível, acompanhado de um lado B, um pouco mais conceitual. Sempre duas músicas, uma complementando a outra. Isso com o intuito de obter um instantâneo mais rico do que virá a ser o álbum como um todo.

Com 38 anos de carreira, Sérgio Britto é autor de sucessos titânicos como “Epitáfio”, Homem Primata”, Diversão”, Enquanto Houver Sol”, “Flores”, “Go Back”, “Por Que Eu Sei Que É Amor”, “Miséria” e “Comida”, entre muitos outros. No seu último projeto solo gravou, com participação especial de Rita Lee, a premiada “Purabossanova”, eleita melhor música do ano pelo júri da rádio MPB FM, em 2014. São destaques também “Aqui Neste Lugar”, com participação especial de Negra Li, e “Como Iguais”, com Luiz Melodia, que você relembra aqui:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *