Música de Concerto

Tchaikovsky e seu must natalino, o Quebra-Nozes

Tchaikovsky
Tchaikovsky
Os bailarinos Cláudia Mota e Filipe Moreira e, ao fundo, o pianista Itajara Dias – Foto: Verus Films

Não existe fim de ano sem uma apresentação do balé “O Quebra Nozes”, nem mesmo num ano de pandemia. O Theatro Municipal do Rio encerra hoje, a partir das 19h, sua temporada Theatro Municipal de Portas Abertas Online com a exibição do tradicional balé criado a partir da obra musical Piotr Tchaikovsky (1840-1893), com performance dos bailarinos Claudia Mota e Filipe Moreira, acompanhados pelo piano de Itajara Dias e do naipe de cordas da Orquestra Sinfônica do Municipal, sob a regência de Priscila Bomfim.

O balé será exibido no canal de YouTube do Theatro, tendo suas gravações concluídas na semana passada. A direção artística é do maestro Ira Levin e a apresentação é de Ana Botafogo.

“O Quebra-Nozes”, de Tchaikovsky, foi o último balé do compositor, o primeiro autor russo a obter reconhecimento internacional, que viria a morrer um ano após sua composição. A peça é considerada um dos maiores sucessos dos balés de repertório em todo o mundo. Devido à história, que acontece durante o Natal, tornou-se praticamente obrigatório apresentar este clássico no fim de ano.

Sinfônica do Municipal executa Tchaikovsky
O naipe de Cordas da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal – Foto: Lipe Portinho

Além desse must natalino, os músicos executarão tocarão a obra “La Tempesta di Mare”, escrita por Antonio Vivaldi (1678-1741) para violino e orquestra de cordas, tendo o violinista Daniel Albuquerque como solista. Conhecida em português “A Tempestade do Mar”, a peça orquestral é quinta de uma série de 12 concertos do compositor italiano, cujos quatro primeiros são justamente sua obra mais festejada: “As Quatro Estações”. Aliás, a reprodução dos sons da natureza sempre inspirou a escrita musical do compositor italiano.

Outro destaque da noite de hoje será o Concerto Grosso em sol menor Op.6 No.8, “Feito para a Noite de Natal”, do também italiano Arcangelo Corelli (1653-1713), com Cordas da Orquestra Sinfônica e regência de Priscila Bomfim. Embora comece evocando uma noite fria e misteriosa, a obra termina com um movimento dançante, remetendo ao ambiente pastoril e às figuras tradicionais do presépio natalino.

A temporada online do Municipal de Portas Abertas disponibilizou até o momento 29 concertos nos mais variados tipos de repertório e formação de instrumentistas. Vale a pena se inscrever no canal e conferir.

 

 

Deixe uma resposta