Rock

Zé Ramalho celebra George em EP

Capa do EP 'Zé Ramalho Canta George Harrison'
Capa do EP ‘Zé Ramalho Canta George Harrison’

Desde que despontou na cena musical brasileira, o paraibano Zé Ramalho chamou atenção ao mesclar o rock de sua formação musical com os elementos da cultura local nordestina, sobretudo por sua capacidade de compor em formato de cordel. Não demorou para que o criador de “Avôhai”, “Chão de Giz” e outras joias do cancioneiro nacional, fosse, de alguma forma comparado a Bob Dylan, um bardo sertânico.

Zé é assumidamente um fã de Dylan. E dos Beatles – a capa de seu álbum “Nação Nordestina” (2000) é totalmente baseada na do icônico “Sargent Pepper’s Lonely Heart Club Band” (1967). Entre 2008 e 2011, o compositor deixou sua veia de intérprete fluir e gravou quatro álbuns de covers – dedicados a Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga e a Dylan e Beatles.

Justamente deste período é que Zé Ramalho pinçou o material para o EP “Zé Ramalho Canta George Harrison”, lançado este mês nas plataformas digitais numa parceria entre os selos dos selos Avôhai Music e Discobertas. O lançamento coincide com os 50 anos de lançamento do primeiro álbum solo de George, o aclamado “All Things Must Pass” (1970) e os 20 anos da morte do ex-beatle.

A capa remete diretamente a “Living in the Material World” (1973), quarto álbum solo de estúdio do ex-beatle morto há 20 anos. Zé Ramalho canta em inglês as seis faixas. Nenhuma delas é inédita. A gravação mais antiga é da espiritualizada “Dhera Dun”, gravada por Harrison em 1970 e apresentada pelo artista paraibano em sua participação no álbum “Beatles 68 – As Outras Cores do Álbum branco” (2008), um tributo com vários artistas.

De 2010 são as gravações de “Beware of Darkness e Isn’t a pitty? – ambas de “All Things Must Pass” -, que Zé gravou para um tributo a George Harrison: “Tudo Passa” (2010).

Já a releitura de “Just for Today”, canção de Harrison gravada em 1987, veio do álbum “Waiting on a Friend”, do baixista Rodrigo Santos (ex-Barão Vermelho e Kid Abelha).

Para completar as gravações esparsas e colocar tudo num lugar só, Zé recolheu para a compilação seus registros para “I Need You”, Isn’t a Pity” e para a clássica “While My Guitar Gently Weeps”, que em seu arranjo faz um acordeom dialogar com a guitarra. Ouçam o EP aqui:

Também em parceria com a Discobertas, Zé Ramalho lançou em maio a caixa “O Garimpo das Raridades”, quatro CDs que reúnem 60 fonogramas raros ou inéditos retirados diretamente do enorme acervo pessoal do artista e gravados ao longo dos últimos 30 anos.

Deixe uma resposta